Friday, June 20, 2008

Ai Portugal, Portugal!

Tiveste gente de muita coragem
E acreditaste na tua mensagem
Foste ganhando terreno
E foste perdendo a memória
Já tinhas meio mundo na mão
Quiseste impor a tua religião
E acabaste por perder a liberdade
A caminho da glória
Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar
Tiveste muita carta para bater
Quem joga deve aprender a perder
Que a sorte nunca vem só
Quando bate à nossa porta
Esbanjaste muita vida nas apostas
E agora trazes o desgosto às costas
Não se pode estar direito
Quando se tem a espinha torta
Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar
Fizeste cegos de quem olhos tinha
Quiseste pôr toda a gente na linha
Trocaste a alma e o coração
Pela ponta das tuas lanças
Difamaste quem verdades dizia
Confundiste amor com pornografia
E depois perdeste o gosto
De brincar com as tuas crianças
Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar
Ai, Portugal, Portugal
De que é que tu estás à espera?
Tens um pé numa galera
E outro no fundo do mar
Ai, Portugal, Portugal
Enquanto ficares à espera
Ninguém te pode ajudar
Depois de ontem, ou noites como a de ontem lembro-me sempre das palavras do grande poeta Jorge Palma.

Thursday, June 19, 2008

Rammstein "Du Riechst So Gut"



Der Wahnsinn
Ist nur eine schmale Brucke
Die Ufer sind Vernunft und Trieb
Ich steig Dir nach
Das Sonnenlicht den Geist verwirrt
Ein blindes Kind das vorwarts kriecht
Weil es seine Mutter riecht

Die Spur ist frisch und auf die Brucke
Tropft dein Schweiss Dein warmes Blut
Ich seh Dich nicht
Ich riech Dich nur Ich spure Dich
Ein Raubtier das vor Hunger schreit
Witter Ich Dich meilenweit

Du riechst so gut
Du riechst so gut
Ich geh Dir hinterher
Du riechst so gut
Ich finde Dich
So gut
Ich steig Dir nach
Du riechst so gut
Gleich hab Ich Dich

Ich warte bis es dunkel ist
Dann fass Ich an die nasse Haut
Verrate Mich nicht
Oh siehst Du nicht die Brucke brennt
Hor auf zu schreien und wehr Dich nicht
Weil Sie sonst auseinander bricht

Du riechst so gut
Du riechst so gut
Ich geh Dir hinterher
Du riechst so gut
Ich finde Dich
So gut
Ich steig Dir nach
Du riechst so gut
Gleich hab Ich Dich


Ora traduzindo...

A Insanidade
É apenas uma estreita ponte
as extremidades são a razão e o desejo
eu persigo-te
a luz do sol confunde a mente
uma criança cega que rasteja para a frente
porque sente o cheiro da sua mãe

Eu encontro-te
A trilha está fresca e sobre a ponte
goteja seu suor, seu sangue cálido
eu não te vejo
sinto o teu cheiro, apenas, e a tua presença
um predador que grita, faminto
posso farejar-te a milhas de distância

O teu cheiro é tão bom
o teu cheiro é tão bom
eu vou atrás de ti
o teu cheiro é tão bom
eu encontro-te
- tão bom
eu persigo - te
o teu cheiro é tão bom
logo te terei

Agora eu tenho-te
Eu espero até que esteja escuro
então toco na tua pele húmida
não me denuncies
oh, tu não vês a ponte queimando
para de gritar, não te defendas
pois, do contrário, a ponte vai-se partir

O teu cheiro é tão bom...

Para a gaja que tá sempre lá!

Wednesday, June 18, 2008

nice to see you


...pena que tenha sido por tao pouco tempo...

Sentes na tua pele

Sentes sempre tudo na pele

O ódio, a raiva, o desprezo

Sentes na tua pele

Arde

Queima

Não és igual aos outros

Nunca vais ser

Nem queres

O desdem da cabo de ti

Cortam-te

Gastam-te

Usam-te

Sentes tudo na tua pele

Nao te deixam viver

Sufocam-te

Solta o teu ser

Matam-te

Revela-te ao mundo

Sai!

Sai!

E vai...

Tuesday, June 17, 2008

Sonho a três


Ando a ter um sonho recorrente em que estou sozinha em minha casa com dois rapazes girissimos...
Sonho que estamos no sofá a ver tv (e a não ver nada!), a beber umas becks e à conversa...


De repente, sem nada o indicar o moreno tesudo que está ao meu lado começa a acariciar a minha perna esquerda...

o interior da coxa...

...e o charmoso branquinho que está do meu lado direito começa a beijar-me a boca...

Eu estou vestida apenas com uma simples camisola e as mãos deles começam a vaguear pelo meu corpo sem qualquer pudor... dando especial atenção ao meu sexo...

E eu suo de tesão...

Tenho dois homens lindos... um de cada lado do meu corpo... que me tocam... que me beijam... que me fazem viajar por um nivel de prazer nunca antes visitado....

Beijos molhados e carregados de tesão...

Damos um beijo os tres ao mesmo tempo enquanto eles se apressam a tirar as roupas...

Rapidamente tenho dois c*r*lhos rijos á minha frente...

E eles nao param de me tocar... de me sentir...

Aproximo-me do charmoso branquinho e beijo-lhe a glande devagarinho... sugando-o de seguida num bico cheio de saliva...

O moreno tesudo rapidamente se coloca entre as minhas pernas e lambe o meu sexo com autentica devoção.... Humm, como ele lambe bem....

Abro os olhos e reparo com atenção no que me rodeia...

Dois homens super tesudos...

Suor...

Gemidos...

Toques...

Estranhamente eles trocam e eu nem reparo como...

Mas agora tenho o charmoso branquinho entre as minhas pernas e a pila rija e tao saborosa do moreno tesudo...

Julgo que estou na lua...

E é então que o branquinho entra em mim e eu vibro de tesão, digo que não aguento mais e peço-lhes para subirem para o quarto...

Agora sim...

Nesta cama king-size, onde cabemos todos sem chatices eles aninham-se a mim...

O moreno entra em mim agora e hummm eu estremeço de prazer... mesmo... Estou deitada de barriga para cima e tenho a pila do branquinho na minha boca... e a pila do moreno dentro de mim...

Ai que gozo brutal!!!


E isto é que eu nunca tinha sentido antes...

Estava deitada de lado e tinha o branquinho atras de mim a lamber-me o pescoço e a massajar-me o anûs e o moreno tesudo à minha frente a beijar-me a boca e a tocar-me no sexo... Hummm...

Já perdi a conta aos orgasmos fabulososos que estes dois tesudos me estão a dar...


Acordo sempre toda molhada...
E eles nunca estão lá...

Monday, June 16, 2008

Mais uma festa aqui no rio lol


Vai haver mais uma festa aqui pertinho de mim.
O som nao é mto a minha onda, mas o local é fantastico e dizem os entendidos que o cartaz deste ano é mto bom :)
Aqui fica o link para que vejam com os vossos olhos o cenário...
É so clicar em local !


Friday, June 06, 2008

Sobre a morte e mais algumas coisas

Fez um mês esta semana que a minha mae morreu.
Esta semana foi um bocado dificil... Até porque para ajudar à festa ela hoje faria 50 anos. E ja tinhamos pensado numa festinha para comemorar o numero assim tao redondo - sempre é meio seculo!
Não perco tempo a pensar, nem quero que agora fiquem vcs a pensar que este blog se vai dedicar à minha dor ou uma merda qq assim parecida. O facto é que esta merda aconteceu... Nao tenho o habito de falar nisto mas porra! Nao aguento mais!
É tudo tão estranho...
É msm estranho... Pensar que nunca mais vamos voltar a ver alguém... ou ouvi-la...
Msm estranho...

E agora nao estou a falar por causa das saudades que vou ter dela...
Que me desculpem os hipocritas... mas foda-se... como processar esta sensação de alivio? Esta estranha sensação de alivio que graças a uma ferrenha educação católica se transforma em culpa num fechar de olhos... ("Nao digas isso que é pecado!!")
É pá! Tudo bem que a dor é mto grande... Mas nao ando p'raí sempre a chorar...
E sim, é obvio que me custa saber que ela se foi...

O que eu tenho para aqui é uma mistura tão grande de sentimentos...
Dá-me raiva quando as pessoas vêm falar comigo...
" Ai! Tadinha! Que sofreu tanto..."
Merda para essa gente toda!

Devem haver pouca mulheres que tenham curtido tanto como a minha velhota... Sempre em cima do fio da navalha :)
E acho que o que fica é msm só isto...
As saudades das conversas a bem e até bem engraçadas...
A cena de uma começar uma frase e a outra acaba-la...

Nao posso também deixar de pensar no que dizia o nosso Virgilio Ferreira n'A Aparição:
" – Todos os mortos se fazem rogados – explicou-nos. – Então a gente pede e eles dão um jeito. Céus! Onde a minha repugnância? Tudo me esqueceu. Corpo morto, carne morta. Como as pedras. Trabalho com aplicação, quase com gosto. As calças, a camisa, sapatos de verniz – os sapatos é o António quem lhos calça. Eis-te pronto, meu velho, para a grande viagem. Estás sereno, a face gravada de doçura, de perdão a tudo, à vida, à morte. E uma comoção lenta humedece-me os olhos. Vou até ao meu quarto, abro as janelas para a noite. Então bruscamente ataca-me todo o corpo, as vísceras, a garganta, o absurdo negro, o absurdo córneo, a estúpida inverosimilhança da morte. Como é possível? Onde a realidade profunda da tua pessoa, meu velho? Onde, não os teus olhos, mas o teu olhar? Não a tua boca, mas o espírito que a vivia? Onde, não os teus pés ou as tuas mãos mas aquilo eras tu e se exprimia aí? Vejo, vejo, céus, eu vejo aquilo que te habitava e eras tu e sei que isso não era nada, que era um puro arranjo de nervos, carne e ossos agora a apodrecem. Mas o que me estrangula de pânico, me sufoca de vertigem é teres sido vivo, é tu estares ainda todo uno para mim, na memória do teu riso, no tom da tua voz, que era lente, sossegada, nas ideias que punhas a viver entre nós, na realidade fulgurante de seres uma pessoa. "
Pois é...
E bem, a minha cota ainda cá deixou marcas da sua passagem...
Compete-me a mim e a todos nós tentar fazer o msm.
Deixar a n/ marca neste mundo.
Tenho medo de me esquecer de alguém que ja conheci e que ja morreu...

E definitivamente... Não quero que me aconteça o mesmo...
Não quero ficar esquecida...

New Moon Movie Countdown - Twilight Saga

 

Free Blog Counter